sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Poema

O tempo balança
os minutos que passam

e num segundo
já não somos nada
(mas fomos sempre tão pouco)

um muro
um caminho
em construção
uma avenida
uma criança em equilíbrio
com medo
de pisar a vida

Poema

São poucos
os mistérios do mundo

(que idade tens
que vícios persegues)

São tuas as mãos
nas minhas
no embalo destes versos

Diz-me quem sopra
este vento forte
no dia que corre
e para que lado
dorme a noite

Poema

Quase tudo o que quero
está ao meu alcance
rosas vermelhas
a florir nas mãos
límpidas águas
no horizonte
e um olhar brilhante e nu
aqui defronte.

Tenho quase tudo
quase tudo
quase tu.

Devendra de volta


Ainda não, fisicamente. O disco só sairá lá para finais de Setembro, mas já se podem experimentar as novas delícias do excêntrico tropicalista não brasileiro do século XXI. Chama-se Smokey Rolls Down Thunder Canyon e é um salto em frente na sua obra discográfica. Mais tropicalista, algo rocky, menos free folk que os anteriores, mas ainda assim um trabalho com marca de Devendra Banhart. As influências da Tropicália de Caetano Veloso e restantes parceiros são cada vez mais notórias (para meu contentamento) e este será seguramente mais um disco de culto (cada vez mais alargado) do prodígio Texano. A grande surpresa talvez seja a soberba canção Rosa (ou Rose, como também aparece em alguns sites) com a participação de Rodrigo Amarante, dos Los Hermanos. A faixa é cantada em português. É de ouvir e chorar por mais, garanto-vos.
Já tenho prenda de aniversário garantida...

nota: algumas partes instrumentais da faixa Seahorse (magnífica, aliás) fazem lembrar claramente Golden Brown, dos Stranglers. Curioso...

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

Onde deveremos sempre estar


Aos poucos tudo parece começar a ganhar forma. Mais atitude, mais futebol, mais dinamismo, mais Benfica. Estamos no grupo dos Campeões.

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Japrocksampler - parte II


No dia vinte e três de Junho referi neste blog que um novo livro de Julian Cope seria comercializado em Setembro. Tudo verdade, ou quase. Ainda é Agosto e já se vende em Inglaterra. Chegou-me hoje às mãos e estou pronto para começar a aventura...
Não se prevê edição portuguesa, seguramente. Nenhum dos livros deste autor existe traduzido por cá.

nota: a imagem que ilustra este post é a capa de um dos muitos discos referenciados no livro de J.C.

terça-feira, 28 de agosto de 2007

Os Cinco


Ando nostálgico. Talvez por isso me apeteça lembrar esta colecção de livros que me acompanharam em muitos dos dias da minha infância. Eram 21 ao todo e de todos eles tenho boas recordações. O número 2 (Nova Aventura dos Cinco) e o número 13 (Os Cinco na Planície Misteriosa) eram os meus favoritos. Talvez este último ainda mais que o anterior. Publicados pela Editorial Notícias, a colecção d'Os Cinco é intemporal. Ainda os tenho. Quem sabe os meus filhos lerão essas mesmas páginas daqui a alguns anos.
Eu bem disse: ando nostálgico.

Colour me your colour, baby


Faz exactamente hoje 27 anos que comprei este single. Era o tempo do vinil e estávamos no século passado, início dos maravilhosos anos oitenta. Nessa altura nada havia melhor do que os Blondie. Para mim eles eram o máximo.
Ela - Debbie Harry - era um pouco mais do que isso...
Ouvi os discos dos Blondie mais vezes do que quaisquer outros em toda a minha vida. E, obviamente, a minha juventude teve neles a sua banda sonora. Call Me é uma música contagiante. Um tiro certeiro para ouvidos teen. Mas, confesso, ainda hoje me rendi ao prazer de ter na mão este single. Música e objecto, ao mesmo tempo memória e paixão.
"Anytime, anyplace, anywhere, anyway..."

domingo, 26 de agosto de 2007

Insónia


Quando a noite
me rouba o sono
as estrelas movem-se
dançando
e nos cantos mais escuros
da casa
fazem-se festas em silêncio
para só eu ouvir

Obrigado, Jorge


Voltou aos discos uma vez mais. E mais uma vez voltou bem. Bem melhor do que o anterior, aliás. Chama-se Voo Nocturno e é o novo disco de Jorge Palma. Quando se ouve Encosta-te a Mim na rádio, o verão torna-se mais intenso, mais bonito e tudo parece brilhar de outra maneira. Quantas canções portuguesas são tão perfeitas assim? Ando com ela há vários dias na cabeça e não me canso nem me queixo.
Apetece-me agradecer este milagre. Porque é mesmo disso que se trata.

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Poema

Sonolenta
a noite enrosca-se
em nós
ocupando os espaços
da sua ausência

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Som sueco


Enganem-se aqueles que pensam que somente do Canadá chegam os melhores nomes da música actual. Jens Lekman é sueco e este é o seu terceiro trabalho de longa duração. A edição está prevista para Outubro, mas posso garantir-vos que é belíssimo. A começar pela capa. Night Falls Over Kortedala pode não trazer nada de novo, mas por vezes não é isso que se deseja. A melodia perfeita, o timbre melancólico, as letras inspiradas fazem sempre falta e são um prazer que não se deve recusar. Por vezes faz lembrar Scott Walker, nos primeiros tempos.
Um pouco do fresco outonal no verão que ainda se vive.

quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Fim de férias

Terminaram as férias. Ainda bem. Não foram bons os dias longe de casa. Muitos problemas, felizmente todos eles resolvidos. Mas a verdade é que não vão deixar saudades. Antes pelo contrário... Terão sido as piores férias que a minha memória alcança.
Agora temos mais onze meses até tudo ser de novo paz e descanso.