terça-feira, 30 de setembro de 2008

Espera

A espera é sempre uma maré que parece nunca encher. Enquanto esperava ouvia o ruído do mar à sua volta. Trazia nesse dia o cheiro dos encontros passados, os riscos do desejo vincados na pele, as formas do corpo ausente moldadas ao seu. Assim, sentada à beira mar dos seus encantos, via a tarde despedir-se de si, apenas de si e de mais ninguém.

* esta imagem foi gentilmente cedida pela minha amiga Ana Sofia Victor

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Machado de Assis (tímida homenagem)

Confesso esta grave lacuna: as obras de Machado de Assis poucas vezes permaneceram o tempo devido na minha mesa de cabeceira! Estou, no entanto, disposto a mudar o panorama. Um homem que escreve com a lucidez de Assis merece sempre mais uma chance:

"Há coisas que melhor se dizem calando."

* faz exactamente hoje 100 anos que Machado de Assis nos deixou.

domingo, 28 de setembro de 2008

Lapa, choro e rock'n'roll



Uma das músicas novas de Obra em Progresso chama-se Lapa. É lindíssima! Solta, leve, um lençol de som que se estende até ao mais íntimo de mim. E dou comigo a cantá-la durante os intervalos dos meus dias...

LAPA

samba-Canal 100 no meio de 60
e nos 70 era o Largo da Ordem
tudo vinha desaguar na Lapa
Lapa, minha inspiração,
Lapa, Guinga e Pedro Sá
lição

quem projetaria essa elegância solta
essa alegria, essa moça-vanguarda
esse rapaz gostoso que é a Lapa
Lapa, Circo Voador
Lapa, choro e rock’n’roll
perdão

cool e popular
cool e popular
cool e popular
a Lapa
quem ia imaginar
quem ia imaginar
quem ia imaginar
só eu
eu sozinho, só e solitário
sob a chuva da Bahia

pobre e requintado e rico e requintado
e refinado e ainda há conflito
Pelourinho vezes Rio é Lapa
Lapa
veio a salvação
Lapa
falta o mundo ver
assim
Água de Kassin lava a Nova Capela
eu amo a PUC e a gíria dos bandidos
Fundição Progresso: eis a Lapa
Lapa
Lula e FH
Lapa
amo nosso tempo
em ti
Lapa!…


sábado, 27 de setembro de 2008

O verdadeiro derby

Ganhou o meu Benfica. E a noite ficou mais estrelada...

Poema

Quem quer navegar
no rio que corre em mim?

Nas margens desse percurso
não se imagina o seu fim

E é perigoso navegar
em rios que são assim...

Tintin est toujours vivant

Ora aqui está uma óptima prenda para oferecer a mim próprio daqui a uns dias!

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Europa, como nunca a ouviram



Based on the desire for total mobility
And the serious physical pursuit of religious freedom
The auto drove mankind further than the wheel
And in remote areas even today is forbidden as a device too suspect for human conveyance
This articulate conception has only brought us all more of the same
Thoughtlessly locked into phase two gridlock
keyed up on it's rims and abandoned on the expressway

*Europa é a primeira faixa de Autoamerican (1980), dos Blondie. Este é, seguramente, um dos 5 discos que mais vezes ouvi em toda a minha vida.

A melhor idade (II)



Os Pequenos Vagabundos (Les Galapiats) era uma série verdadeiramente fantástica. A banda sonora também. Vibrante como poucas outras séries que passaram na RTP nos anos 70 / 80. Quem não se recorda do sorriso encantado e dos olhos estrelados de Marion (Béatrice Marcillac) não viveu o que eu vivi. Até em sonhos me aparecia... Felizmente, a edição em dvd existe há já algum tempo e tenho-a sempre pronta para me acompanhar em noites onde o sono, também ele, se mostra vagabundo.

* ao todo eram 7: Jean Loup, Cow-Boy, Franz, Patrick, Byloke, Lustucru e a doce Marion.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Mastigar memórias

Sirvam-se à vontade...

Para sempre

Só assim estávamos perto. Colados um ao outro. Sentia pequenos arrepios como se fossem choques eléctricos direitos ao coração. Nos sussurros do que não dizíamos éramos donos do mundo. Mas eu nunca quis o mundo, apenas quis que aqueles momentos fossem para sempre. Nessa altura não sabia que a vida era um jogo que vamos tendo entre mãos, até que olhamos para elas de novo e vemos apenas a memória do que existiu. E muitas vezes a memória é um jogo triste.

* esta imagem foi retirada do blog http://eu-nao-sou-eu.blogspot.com/

Poema

É tão pouco
o que procuro:

um lugar para pousar a alma

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Os instantes de outros tempos

Era o tempo das primeiras chuvas. O tempo em que também nos molhávamos por dentro, até ao osso ainda tostado do verão. As cores dos dias eram aguarelas a entardecer. Pintávamos quadros com os olhos molhados de ternura. O olhar vestia um agasalho mais quente e o Outono brindava-nos com o que tinha de melhor: momentos de um tempo que parecia de outro tempo, mais antigo e solitário. E era apenas o tempo que me acompanhava nas primeiras chuvas que caiam.

* esta imagem foi retirada do blog http://bocadosdetudo.blogspot.com/

Agora é que são "elas"...

A insuspeita Out Magazine lembrou-se de pedir a alguns dos mais famosos gays do mundo das artes (Boy George, Rufus Wainwright, etc) e a muitas outras celebridades com sexualidade diferente dos citados anteriormente, que escolhessem os 10 discos mais gays de toda a história da música. Participaram 100 pessoas nessa escolha e o resultado é o que se segue. Agora é que vão ser "elas"...

Com que então você ouve música gay e gosta, heim...?!!! ;-)

100 The Beatles - Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band
99 Joni Mitchell - For The Roses
98 Ferron - Testimony
97 Janis Ian - Between The Lines
96 Nick Drake - Bryter Layter
95 Culture Club - Kissing To Be Clever
94 Hair Original Broadway Cast - Hair
93 Sade - Lovers Rock
92 Morrissey - Viva Hate
91 Grace Jones - Nightclubbing
90 Kate Bush - The Kick Inside
89 Fifth Column - To Sir With Hate
88 Hüsker Dü - Zen Arcade
87 Madonna - Confessions On A Dance Floor
86 Madonna - Madonna
85 Nina Simone - Anthology
84 Cyndi Lauper - True Colors
83 Bette Midler - The Divine Miss M
82 Cher - Believe
81 Scissor Sisters - Ta-Dah
80 Rufus Wainwright - Want One
79 T. Rex - Electric Warrior
78 Various - The Rocky Horror Picture Show Soundtrack
77 New Order - Substance
76 Ani DiFranco - Imperfectly
75 Carole King - Tapestry
74 Michael Jackson - Off the Wall
73 Various - Fame Soundtrack
72 Donna Summer - Once Upon a Time
71 Elton John - Captain Fantastic and the Brown Dirt Cowboy
70 Rent Original Broadway Cast - Rent
69 Frances Faye - Caught In The Act
68 Nirvana - Nevermind
67 Hüsker Dü - Candy Apple Grey
66 Soft Cell - Non-Stop Erotic Cabaret
65 Le Tigre - Le Tigre
64 Patti Smith - Easter
63 Björk - Debut
62 Jeff Buckley - Grace
61 Sleater-Kinney - Dig Me Out
60 R.E.M. - Automatic For The People
59 Bronski Beat - The Age of Consent
58 Liz Phair - Exile in Guyville
57 Prince - Dirty Mind
56 Team Dresch - Personal Best
55 David Bowie - Diamond Dogs
54 Tori Amos - Little Earthquakes
53 Culture Club - Colour By Numbers
52 Kate Bush - Hounds of Love
51 Frankie Goes To Hollywood - Welcome to the Pleasuredome
50 Rufus Wainwright - Poses
49 Patti Smith - Horses
48 Cris Williamson - The Changer and the Changed
47 The Magnetic Fields - 69 Love Songs
46 Madonna - Ray of Light
45 Bikini Kill - Pussy Whipped
44 Pet Shop Boys - Very
43 Prince - Purple Rain
42 ABBA - Gold
41 Melissa Etheridge - Yes I Am
40 Pet Shop Boys - Behavior
39 Laura Nyro And Labelle - Gonna Take A Miracle
38 Dusty Springfield - Dusty In Memphis
37 Blondie - Parallel Lines
36 Madonna - Erotica
35 Yaz - Upstairs At Eric's
34 Donna Summer - Bad Girls
33 The Smiths - Hatful Of Hollow
32 The Smiths - Meat Is Murder
31 Sarah McLachlan - Fumbling Towards Ecstacy
30 Diana Ross - Diana
29 Pet Shop Boys - Actually
28 Queen - The Game
27 Eurythmics - Sweet Dreams (Are Made of This)
26 Scissor Sisters - Scissor Sisters
25 k.d. lang - Ingénue
24 Sylvester - Living Proof
23 Deee-Lite - World Clique
22 The Gossip - Standing In The Way Of Control
21 David Bowie - Hunky Dory
20 Queen - A Day at the Races
19 The B-52s - The B-52's
18 George Michael - Listen Without Prejudice, Vol. I
17 Lou Reed - Transformer
16 Queen - A Night at the Opera
15 George Michael - Faith
14 Erasure - The Innocents
13 Ani DiFranco - Dilate
12 The Velvet Underground & Nico - The Velvet Underground & Nico
11 Various - Hedwig And The Angry Inch Soundtrack
10 Antony And The Johnsons - I Am A Bird Now
09 Cyndi Lauper - She's So Unusual
08 Madonna - The Immaculate Collection
07 Elton John - Goodbye Yellow Brick Road
06 The Smiths - The Queen is Dead
05 Judy Garland - Judy at Carnegie Hall
04 Indigo Girls - Indigo Girls
03 Tracy Chapman - Tracy Chapman
02 The Smiths - The Smiths
01 David Bowie - The Rise and Fall of Ziggy Stardust And The Spiders From Mars




* oh, my God!!!! Tenho mais de 20!!!

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Luz

Por vezes há pequenas luzes que se acendem quando julgamos que todos os pontos luminosos dos nossos dias parecem apagar-se por dentro de nós. E quando faísca essa pequena centelha, volta a ser Verão, mesmo quando já é Outono.

* poucos serão aqueles que perceberão este post, mas há mais de um mês que tinha esperança de escrever umas linhas como estas. Os homens são os seres mais medrosos que conheço... Eu não fujo à regra.

domingo, 21 de setembro de 2008

Ainda (e sempre) a música nova que vai aterrando nos meus ouvidos: Antony & The Johnsons tem novo trabalho. Chama-se Another World e surge em formato de ep. A música, asseguro-vos, é muito melhor do que a capa.


* a foto da capa do disco foi tirada por Pierre-Olivier Deschamps em 1984, nela figurando Kazuo Ohno, co-fundador de um estilo de dança contemporânea japonesa intitulada Butoh.

sábado, 20 de setembro de 2008

Agora em formato Mega...

O meu adorado Devendra Banhart formou uma banda. Chama-se Megapuss. Devendra e Greg Rogove ( dos Priestbird) são a dupla que responde por esse nome. Mas não estão sozinhos. Juntaram-se-lhes outras figuras como Fabrizio Moretti (The Strokes, Little Joy), Noah Georgeson (membro da banda que geralmente acompanha Banhart e também produtor), e Aziz Ansari (actor e comediante). Aqui está a capa de Surfing, o primeiríssimo trabalho dos Megapuss. WOW!!!!

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

A melhor idade



Naquele tempo, o mundo parava quando estas imagens apareciam no televisor lá de casa...

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Poema

Uma última palavra
até que outra
mais intensa
e soberana
possa florir

Escutemos por agora
o silêncio das palavras por surgir

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Poema

Sendo assim
deitarei fora o pó
dos dias
e guardarei apenas
as imagens do vazio
o lugar do copo
dos talheres
das refeições de pele e sal

E enquanto for assim
tudo menos mal

terça-feira, 16 de setembro de 2008

SOU / NÓS

O primeiro disco a solo de Marcelo Camelo tem feito parte da banda sonora dos meus últimos dias. Chama-se SOU e é composto por 14 canções, quase todas elas bem introspectivas. Depois da paragem por tempo indeterminado a que votou os Los Hermanos, este disco é um inspirado regresso do principal compositor da banda carioca. A faixa Janta, que há já alguns dias se pode ouvir aqui no blog, é apenas um dos muitos e grandes momentos deste disco. SOU fã.
Um dos discos do ano de língua portuguesa está encontrado.

* a capa de SOU apresenta um lindíssimo micro poema concreto de Rodrigo Linares

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

As minhas dúvidas

Ainda não sei em quem votar. A votação para a atribuição do Prémio Capitão Moura - Liga dos Últimos devia ser um Imperativo Nacional. Estou, como se depreende das minhas palavras, em período de reflexão. Talvez acabe por votar no Vitor do Poste...



Ou no Apaixonado de Calvão...



Ou ainda no Bolachinha Americana...



São tantas as dúvidas!!!

* A Liga dos Últimos é um programa que passa na RTP e dos poucos que tento sempre não perder. É absolutamente fantástico. Para votarem, cliquem aqui.

2008.09.12 Julian Cope Liverpool Academy

Desta vez faltei à chamada...

* esta fotografia foi tirada por Moth, my british friend... Há mais aqui.

Richard William Wright

Nunca fui fã dos Pink Floyd, mas o tempo ensinou-me a não desprezar alguns dos nomes mais famosos da história do rock. Também me ensinou a gostar de alguns dos trabalhos da banda inglesa, como The Piper at The Gates of Dawn, More, Wish You Were Here ou The Final Cut, por exemplo. Um dos seus membros fundadores faleceu hoje. Chamava-se Richard William Wright, mais conhecido por Rick Wright, o teclista do grupo. Na minha opinião, Rick Wright era o segundo elemento mais cool dos Pink Floyd, logo atrás de Syd Barrett. De todos os membros da banda, estes são os que já não se encontram entre nós...

Estranha equação (começa hoje)

7ºA + 10ºA + 10ºB + 12ºB + Director de Turma + Orientador de Estágio + Coordenador Plano Nacional de Leitura + múltiplas actividades a ÷ por + ou – 10 meses = ano lectivo 2008/09

domingo, 14 de setembro de 2008

Desabafo

Confissão: sempre me senti um bocado parecido com o Charlie Brown...

sábado, 13 de setembro de 2008

Um outro mar

Havia só mar no horizonte. Mar e algumas estrelas no céu que escurecia de mansinho, timidamente. Para trás deixava o que a vida sempre lhe oferecera: muito pouco. De resto, trocar as voltas ao destino parecia ser a aposta certa. No nevoeiro das ideias, sentia que o seu corpo balançava ao sabor de um outro mar que não aquele. Por isso aproximou-se perigosamente da proa do barco, esboçando um derradeiro sorriso. E, de repente, a vertigem da vida que levava pareceu-lhe verdadeiramente insustentável.

* esta imagem foi retirada do site http://bocadosdetudo.blogspot.com/

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Poema

O corpo junto à terra
exangue
como se de pedra
se tratasse

Pele e terra

A pele fundindo-se nela
até deixar de ser
o corpo que antes era

Terra
só terra

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

9/11 (TRIBUTE)

O meu amigo Janeca é o autor desta fotografia que hoje aparece no seu blog, exactamente com o mesmo título deste post. Podemos sempre copiar a genialidade dos amigos, lembrando dessa forma que vivemos num outro mundo desde há 7 anos.

Ainda as férias I (breves alusões)

Agora podem descansar... Até para o ano.

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Olhar para trás

Na pele das roupas que usava podia ser menina outra vez. Revia nelas a sua infância, as caras animadas de outros tempos e o desejo de permanecer ali, no fundo generoso das memórias, era imensamente forte. Andava perdida nos trilhos adultos do seu corpo de mulher e a sua casa era o seu refúgio, o atalho mais próximo para o tempo apetecido. E ali, por entre as pequenas flores do mundo que era o seu, caminhava em frente, rumo ao passado, olhando para trás de quando em vez, para não se afastar para sempre das horas dos seus dias verdadeiros.

* esta imagem foi gentilmente cedida pela Rosa e pode ser vista no blog http://postitrosa.blogspot.com/

Ainda as férias II (breves alusões)

Olhem bem para esta fotografia. Tentem percebê-la. Tentem explicá-la. Se conseguirem ganham um kiss daquele que nela aparece. Ou um abraço, conforme o caso.

* a mão e o que mais se vê são pertença do meu corpo ;-)

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Ainda as férias III (breves alusões)

Em 1967, Caetano Veloso cantava, no seu primeiro LP a solo, a canção Paisagem Útil. Desde pequeno que adoro a modernidade dos versos " No alto do céu do rio / Uma lua oval da Esso / Comove e ilumina o beijo..." Assim, numa homenagem à canção e a uma outra lua de que gosto particularmente, aqui fica uma lua oval da Guinness, que brilha nos céus de Vilamoura.

* nesta nova etiqueta (Picture this) figurarão fotografias tiradas por mim. Os conteúdos dos posts Picture this serão variados, sendo que apenas os unirá o facto de terem uma foto da minha autoria.

** a designação Picture this é uma homenagem à canção dos meus adorados Blondie, intitulada precisamente Picture This.

*** a designação desta nova etiqueta esteve para ser Fotografei você na minha Rolleiflex ( verso da canção Desafinado), mas julgo já ter visto essa mesma designação num dos muitos blogs que visito, embora não tenha a certeza.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Sonho de menina

E num repente, a meio de um sonho tão intenso, um pequeno rapaz esculpido na madeira da memória, surgiu triunfante pelos ares da noite para me raptar. E eu, que dormia profundamente, facilitei-lhe as intenções. Sorri e deixei-me levar. Era a primeira vez que me sentia assim, livre, uma quase personagem de Barrie. O meu Peter Pan de madeira fez da minha carne viva o prazer de uma vida inteira.

Super Bronco



"Tipo assim", dar-lhe com a máquina na cabeça ainda era pouco...

domingo, 7 de setembro de 2008

Black Sheep, once again

Antes de ir de férias havia prometido escrever umas linhas sobre o mais recente disco de Julian Cope. Intitulado Black Sheep, este duplo cd (uma das muitas manias de JC, pois todas as músicas caberiam bem num único disco) é, de certo modo, um voltar atrás em termos melódicos e composicionais. É um álbum de canções, um álbum onde os excessos ruidosos dos anteriores You Gotta Problem With Me e, principalmente, Dark Orgasm e Citizen Cain'd estão minimizados, quase imperceptíveis até. Apenas em Come The Revolution e It's Too Late To Turn Back Now - (canções inicias do primeiro cd) -, ainda se consegue ouvir ecos desse som mais caótico e poderoso. Mas pouco... O que se ouve depois, e até ao fim do segundo cd, é um Cope que já não ouvíamos desde Interpreter, de 1996. Um Cope agarrado às harmonias cantáveis das canções pop, embora talhadas à sua maneira. É um disco como já há muito os fãs desejavam. Por isso, Black Sheep não me largou os ouvidos durante as férias. Na praia, na piscina, em casa, doses e doses de Black Sheep inundaram-me os dias. O meu amigo Nuninho que o diga... Um disco que tem uma faixa intitulada All The Blowing-Themselves-Up Motherfuckers (Will Realise The Minute They Die That They Were Suckers) não pode passar despercebido. Por isso, se quiserem ouvir um pouco deste Black Sheep, liguem-se hoje à RADAR (97.8 FM), às 22h00 e ouçam o Discos Voadores. Um dos destaques do programa será este novo trabalho de Julian Cope. Talvez passem Psychedelic Odin, a minha música preferida de Black Sheep, se é que consigo, de facto, ter uma música preferida neste grande regresso do meu adoradíssimo Julian Cope.

sábado, 6 de setembro de 2008

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Pássaros

Pássaros: palavras aladas nas folhas azuis do céu.

Heart of mine

Hoje tomei o pequeno almoço a ouvir Heart Of Glass, dos Blondie. Há canções que me fazem começar melhor o dia.

* a foto acima nada tem a ver comigo ;-)

Poema

Este é o meu poema
apenas meu
(não o leias, não o leias)
finge que é só
mais um papel
pronto a rasgar
e deita-o fora

Este é o meu poema
e só nos meus olhos
se revela

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Poema

São vazias as memórias
do nada que já findou
(histórias de ervas a crescer
sem tempo de serem sol)

Se tudo o que nasce finda
findar pode ser nascer

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Adios, Hermanos

Já tenho serão. Os meus ouvidos tremem. Los Hermanos, vamos a isto. É só ligar o sistema de som...


1. Dois Barcos

2. Primeiro Andar

3. Além do que Se Vê

4. Retrato pra Iaiá

5. O Vento

6. O Vencedor

7. Último Romance

8. A Outra

9. O Velho e o Moço

10. Sentimental

11. Cara Estranho

12. A Flor

13. Anna Júlia

14. Todo Carnaval tem Seu Fim

* Este é o show de despedida da banda. Agora só me falta o dvd.

Poema

Afinal
amanhecer é apenas
um pretexto
mais uma folha branca
de papel
onde tudo se repete
(o doce, o fel...)
e de sentido envolvente
circular
como dedo num anel

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Eles cresceram!!!

Maurício de Sousa fê-los crescer. Estão bem diferentes. Física e psicologicamente. Parece que a Mónica tem um fraquinho pelo Cebolinha - que agora gosta de ser tratado por Cebola, passou a ter ajuda de uma fonoaudióloga e só troca os "érres" pelos "éles" quando está excessivamente nervoso-, a Magali tem uma alimentação mais cuidada para não perder a forma, e o Cascão... toma banho!!! Não todos os dias, mas já não foge da água como quando era miúdo. O número zero do novo gibi saiu em Agosto. No Brasil, é claro. Por cá, só mesmo no I Blog Your Pardon se fala da turma da Mônica (como se escreve, no original) de quem tantas histórias li quando era Carlinhos...

* da esquerda para a direita: Magali, Mónica, Cebola e Cascão (em estilo Manga)

Paris, num quase silêncio

Quando amanheceu ficaram as memórias dessa noite. A noite de Paris, a dois! Abraçados, lado a lado, a cidade aberta à nossa frente. E no céu, um manto de estrelas alvas, puras como as que brilham nas noites de verão. Foi quando a tua voz me perguntou:
- Haverá vida para além desta noite?
Depois arrefeceu um pouco e as luzes das ruas, subitamente, pareceram incomodadas com a resposta que não dei.

* imagem retirada de http://instantefatal.blogspot.com/
** texto a pedido do meu amigo Leone.

Poema

Retrai
diminui
reduz:

Só assim o poema se traduz

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Joan, I love you






Apetecia-me guardar segredo. Não dizer nada a ninguém para ser eu o único a ouvi-la, a tê-la para mim. Mas aí vai: esta senhora vai cantar (para mim) no Centro Olga Cadaval, em Sintra, a 9 de Novembro. Joan As Police Woman, uma vez mais em Portugal. Lá estarei. E levo algemas no bolso da camisa, bem juntas ao coração...