sexta-feira, 31 de maio de 2013

Famous Five


Durante muitos anos procurei uma edição decente destes Famous Five, sem sucesso algum. A série fez as minhas delícias quando passou na tv portuguesa, era eu miúdo. Apaixonado pelos livros de Enid Blyton, mas sobretudo d'Os Cinco, vivia intensamente os episódios que passavam na pequena televisão de minha casa. Agora, tanto tempo depois, um pouco desse prazer volta a ser possível: todos os episódios de todas as temporadas estão comigo, uma vez mais. Esta excelente edição de colecionador não está à venda em Portugal, nem apresenta legendas na nossa língua. mas que importa isso, se afinal o sonho se tornou realidade: a minha infância regressou com os Famous Five!


quinta-feira, 30 de maio de 2013

De mãos dadas com os vampiros (I)


Há muitas semelhanças entre a América dos Vampire Weekend e a América de Paul Simon. Talvez seja por isso que gosto tanto de ambos. Modern Vampires of the City é um dos meus discos do ano. Novos posts sobre o disco nos próximos dias, para ler (pouco) e ouvir (muito).

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Black Angel


♪ And I don't believe in the existence of angels
But looking at you I wonder if that's true 

* versos da canção Into My Arms

terça-feira, 28 de maio de 2013

Mojo mag


Não que eu seja fã dos Stones (que não sou, de facto), mas esta revista tem outros motivos de interesse... Ora olhem lá para o canto superior direito! 

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Long live the Revolution!


Já me chegou às mãos o novíssimo Revolutionary Suicide, de Julian Cope. Ainda não tive oportunidade de o ouvir, mas saber que vou ter esse prazer proximamente dá-me um certo arrepio auditivo, digamos assim. Este duplo cd tem HH27 como referência no catálogo do próprio autor, e tê-lo completo já deveria ter merecido alguns escritos neste blog. Poderá estar para breve... Para já é tempo de rejubilar por mais um disco do meu adoradíssimo Julian Cope!

sábado, 25 de maio de 2013

♪♪ Julian, Dick and Ann, George and Timmy the dog ♪♪



Sim, passaram muitos anos. Não há mistério nenhum nisso, pois não?



* em ambas as imagens falta o eterno Timmy

sexta-feira, 24 de maio de 2013

O mundo de Enid Blyton



É o que estou a ler neste momento. Fã incondicional da autora quando era criança, não poderia agora virar costas a esta pequena biografia de Enid Blyton, mesmo sabendo (como todos saberão, seguramente) que a a senhora em questão sempre foi um ser humano censurável. 



quinta-feira, 23 de maio de 2013

Dias de juventude


Tenho mesmo de ter este livro. O rock do Brasil dos anos 80 fez parte da banda sonora da minha juventude, e este livro de culto (agora em segunda edição) é a bíblia do assunto. Vai ser uma obsessão, enquanto não o tiver nas minhas mãos.



quarta-feira, 22 de maio de 2013

Poema

Que inventário se pode fazer
de um tempo que já não existe

Éramos tão novos nesta imagem
anjos em plena luz da eternidade

Era verdade tudo o que dizias
e foi talvez por isso que te riste

...

Que inventário se pode fazer
quando já nada nos conforta

Ainda que nas minhas mãos pareça
não haver vestígios de derrota

terça-feira, 21 de maio de 2013

Poema

Estou em pé
preso a esta terra
que me devora já
antes do tempo

Limito-me
a ver sonhar
os outros
e nisso passo
os dias sem
por eles passar

Sei que as
multidões dançam
à sua maneira
e não se perturbam
com a minha
ausência

Ninguém me vê
(ando transparente
há tanto tempo
que deve ser
doença)

Mais tarde
estenderei o corpo
no chão desta terra
sem qualquer sinal
de resistência

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Evolução


A evolução dos gestos é também a evolução das espécies e do mundo.

domingo, 19 de maio de 2013

Have you?


Eu não bebo café há muitos anos, mas toda a gente que bebe e aprecia (eu aprecio, mas não posso beber) adora um bom Starbucks. Começo a perceber a razão.

sábado, 18 de maio de 2013

I'm gonna getcha, getcha, getcha, getcha


"I'm gonna getcha, getcha, getcha, getcha"

* sempre tive mixed feelings em relação a One Way Or Another, mas há certos versos que são premonitórios, e dos quais nunca me desliguei completamente

sexta-feira, 17 de maio de 2013

quinta-feira, 16 de maio de 2013

If you know what's in the record, ask for Grant


(à procura da edição especial de 3 cds, de preferência a bom preço)

* se o título deste post nada lhe sugere, então você nunca gostou de whiskey ;-)

terça-feira, 14 de maio de 2013

Lobão por escrito, uma vez mais.


Depois de uma primeira experiência em livro (Lobão - 50 anos a mil), ei-lo de volta ao texto. Polémico como sempre, Lobão é sempre garantia de boa leitura, opiniões controversas, ataques ao paraíso e ao inferno. Lobão é arrasador. É a confirmação de tudo isto que quero ter ao ler Manifesto do Nada na Terra do Nunca, da Nova Fronteira.

* o primeiro livro de Lobão teve o devido destaque neste blog. Para os eventuais interessados, é só clicar aqui

segunda-feira, 13 de maio de 2013

domingo, 12 de maio de 2013

Tempo indefinido

O Senhor Stein anda cansado, sem grande força para escrever o que lhe vai na alma. Roubaram-na! É nisso que pensa, e vai meneando a cabeça em confirmação. Anda só, e surpreso com a solidão do mundo. Encontra injustiças em todo o lado, pensando nelas quando chega a casa e se descalça, sentado na cama onde tem dormido mal nos últimos meses. Antes, nesse tempo indefinido em que ninguém se importava de viver, o Senhor Stein era diferente. Acordava para o dia como se fosse dia pela primeira vez. Mas amanhã, quando acordar, pensará em tudo isto e esboçará um tímido sorriso. E nada mais o convence, que é apenas isso que é preciso.

sábado, 11 de maio de 2013

Poema

Aprendi a riscar
os dias como nomes
que deixamos
perdidos no tempo

E há verdades que
se dizem sem sabermos
que mentimos
a cada momento

(aprender é uma
arma de verdade
e arremesso)

E se quisermos há
um fim
sem haver fim
nem começo

sexta-feira, 10 de maio de 2013

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Poema

Talvez as palavras
tragam o tempo
que não temos

A palavra sol
(mesmo que à noite)
trará sempre
o dia claro
que tantos
cantaram

Se forem mudas
não serão palavras
mas sendo audíveis
serão já
cantáveis

terça-feira, 7 de maio de 2013

Man or Astr (OO7 wo) man?


Adoro capa de discos, e começo a gostar cada vez mais de Man or Astro-Man?. Por isso, este post junta  as duas ideias anteriores num 2 em 1 magnífico. Para além de que uma das características mais interessantes das capas de alguns dos trabalhos dos MOAM? tem a ver com as referências que nelas podemos facilmente inferir, como é aqui o caso. Em vez do homem inferido, uma mulher, o que torna a imagem bem mais interessante. 

* Mission into Chaos! é um ep de 1993, exclusivamente lançado em viníl.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Um século de BD


Quero um exemplar, e rapidamente! 
(apenas estranho a ausência de Tintin na capa)

* Já o tenho, já o tenho! Consegui-o hoje de manhã.

domingo, 5 de maio de 2013

Defcon 5...4...3...2...1...


Ouvir este disco é um prazer quase desmesurado! Man or Astro-Man? é uma banda inclassificável, na minha opinião. Os seus temas são quase sempre instrumentais, cheios de nervo, estridentes, embora nunca deixem a melodia fora de órbita. No entanto, é o ritmo desenfreado que fascina e faz querer pular, saltar até cair para o lado. Vamos lá a isto, então: 5...4...3...2...1... rock on!

sábado, 4 de maio de 2013

sexta-feira, 3 de maio de 2013

quarta-feira, 1 de maio de 2013