sábado, 13 de agosto de 2016

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Poema

As línguas misturam-se em agosto
enquanto o sol
brilha na demência
de ser rei

As mágoas dissolvem-se também
neste mês
sem ponta da rancor
ou acidez

Por isso
é por aqui que ficarei