segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Poema

Um ano
é sempre um tempo
incompleto
um somatório inacabado
de sombras e ilusões
que não se cumprem

Para quando
um ano autêntico
um ano tempo de sementes
que floresçam
sem lugar?

1 comentário:

francisca disse...

que bonito tu poema

y que este 2010 sea un año completo y bueno

un abrazo,