quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Sevilha Andando (II)

O anoitecer tem o seu encanto próprio. Quando a noite começou a mostrar-se, mesmo que timidamente, Sevilha tornou-se outra, escondendo algumas marcas da idade. Uma cidade sabe mostrar-se, quando é inteligente. Mas também sabe seguir quem a visita, sempre atenta, iluminando-se, segura de si. La Giralda aparecia a cada esquina de Santa Cruz. E nós, caminhantes pelos caminhos da cidade, soubemos saudá-la sempre que íamos ao seu encontro.

1 comentário:

alfa disse...

Através do blog do Redjan, cheguei aqui e ousei comentar. Gostei bastante. Talvez por gostar muito de cinema e de um filme em especial do Traffaut que se chama 541farenheit e gostar, igualmente muito de Sevilha.